Concursos públicos, resoluções de questões de provas jurídicas, comentários, gabaritos

Posted in CESPE/UnB, Concursos, Direito Administrativo, Provas with tags , , , on 2009/01/05 by concurseiradeplantao

 

Este blog se destina, antes de tudo, ao MEU crescimento e aprendizado. Eu o faria de uma forma ou de outra. Tornando-o público ou não. Há alguns motivos para eu ter optado pela publicidade.

Sem querer vender a imagem de que sou a moderna Madre Teresa de Calcutá, longe disso, tenho em mente todos os princípios a serem seguidos por um concursando/concurseiro que deseje REALMENTE ter êxito em sua empreitada. Estes princípios se assemelham, e muito, aos códigos de ética – tácitos – que deveriam (ou poderiam) ser seguidos pelos blogueiros.

Alguém que se dispõe a estudar SERIAMENTE para concursos já sabe que não há fórmulas mágicas para chegar à aprovação e que será, sucintamente falando, seu esforço que o levará ao pódio de chegada (ou aos vários pódios).

Um blogueiro responsável, estudioso, que tem paixão pelo o que faz, aprimora-se e dedica seu valioso tempo a pesquisar seu tema antes de publicá-lo na rede é um ser que pode andar de mãos dadas com o concursando-padrão, pois seus estilos de vida são muito próximos.

Ao tornar público meus estudos, ajudo a mim mesma, auxilio, quem sabe, aos que estão trilhando o mesmo caminho que eu e me comprometo mais ainda comigo mesma e com os possíveis e futuros leitores deste sítio, o que, por conseqüência, gera mais comprometimento e motivação a cada dia, num saudável círculo vicioso.

Sem querer usar clichès, já usando, sabemos que não vivemos sós e que precisamos dos outros, mais cedo ou mais tarde, de uma forma ou de outra, para sermos felizes.

Assim como o estudante, o Advogado (refiro-me a estes profissionais, pois este blog pretende tratar de concursos voltados à área jurídica) e o concursando, o blogueiro antenado e perspicaz já percebeu que, assim como no mundo “real”, não dá pra viver só por muito tempo no mundo virtual e que “certas” atitudes egoístas (não citar as fontes, dentre outras coisas praticadas na web…) o levarão rapidamente para o buraco da indiferença alheia. Aqueles citados no início deste parágrafo também são obrigados a entender rapidamente que não adianta não emprestar o caderno, não aproveitar a ida ao Forum para protocolizar a petição do colega ou não passar a gravação da última aula para o colega de cursinho, pois, clichè ou não, as pessoas precisam das outras e é só com desapego, humildade e colaboração que conseguimos crescer e alcançar nossos objetivos mais rapidamente.

Este blog não tem nada de original, sensacional ou pioneiro. Não pretende salvar o universo, mas apenas a uma pessoa: a sua dona.

Este blog NÃO vai atender/tirar dúvidas acerca de casos concretos e quaisquer problemas práticos deverão ser levados ao conhecimento e análise de um profissional da área (Advogado ou Defensor Público). A dona deste blog NÃO é Advogada e nem quer ser. Como o próprio nome do blog já anuncia, ela também é uma Concurseira de Plantão!

Este blog NÃO quer ser o dono da verdade e NÃO se destina a copiar e colar conteúdo de outros sites ou blogs que tratem do mesmo tema.

Cheguei num momento de minha vida, após a leitura de inúmeros livros e artigos e outros materiais, que agora é chegada a hora da realização de exercícios, muuuitos exercícios. A teoria será só a necessária e virá no momento certo, exatamente no momento da resolução das questões.

Terminei minha graduação há menos de um mês e sei o quão difícil é encontrar não apenas gabaritos, mas também questões de concursos co-men-ta-das na web. Sim, há blogs, sites e livros especializados no assunto e duvido que eu não tenha conhecido cada um deles. O que quero dizer é que encontramos as provas (e que acabamos não fazendo, mesmo que a título de exercício) e seus gabaritos, porém, muitas vezes, quando começamos a estudar DE VERDADE, perguntamo-nos: Mas o que há de errado com as outras opções desta questão?

Quando resolvemos averiguar e responder a estes questionamentos, estamos estudando sem farsas, ao mesmo tempo em que treinamos conhecer a “cara” das Bancas e seus estilos de prova o que, inevitavelmente, nos fará crescer.

É isto que pretendo fazer. Simples assim. Estudar e resolver provas recentes de concursos na área jurídica, tentando descobrir a fundamentação do sim ou do não de cada alternativa oferecida nas provas (que não deixa de ser estudar ao estilo das provas do CESPE/UnB, não é mesmo?) e oferecer as MINHAS respostas, a MINHA visão, os MEUS comentários a respeito destas provas.

É lógico que estudarei e treinarei em cima de provas já realizadas, até mesmo porque não sou médium, adivinhadora, não tenho bola de cristal e nem lâmpada do Gênio do Aladim para descobrir o que vai ser cobrado. Se eu tivesse esse dom, apostaria na Mega Sena ou compraria uma ótima e certeira carteira de ações e todos os meus problemas se resolveriam num passe de mágica! Digo isto porque as questões a serem analisadas por mim, certamente (e como eu disse antes, não há nada de inédito em minha idéia) já foram analisadas e resolvidas por outras pessoas, que, por sua vez podem ter tornado seu conhecimento público através da internet, de cursinhos ou de livros ou não.

Tenho de ser honesta, antes de mais nada, comigo mesma e os comentários e questões que forem postados neste blog, a respeito de questões que porventura já tenham sido publicadas e analisadas na internet, conterão, volto a dizer, as MINHAS conclusões e as MINHAS palavras. Tenho livros, apostilas, áudios e vídeos atualizados em minha casa e não precisarei usar ctrl+c/ctrl+v para criar conteúdo neste blog. Desta forma, caros possíveis leitores, certamente encontrarão neste espaço questões já abordadas em outros meios, o que considero ótimo para o crescimento de todos, pois as pessoas são diferentes, têm pensamentos diferentes e é justamente com a troca que o ser humano evolui.

Este blog nasceu há exatos cinco dias e acaba de ser atacado!

Assim que eu publiquei meu último post, ainda só com o enunciado da questão, vi que alguém conseguiu invadir/hackear meu blog e postar, logo abaixo do meu convite à resoluçãdo do problema, um texto copiado e colado de um conhecido site especializado em concursos públicos e que respondia justamente, ora vejam, a questão a que ME propus resolver…

Pulando o tema “segurança na rede, segurança em blogs, wordpress,  hackers” etc, como eu acabei de explicar, meu intento com este blog não é ganhar o Oscar da originalidade na blogosfera e sim, alcançar meus objetivos ESTUDANDO, dividindo e agregando conhecimentos com outros concursandos.

Bem, isso é o máximo de tempo que vou perder para responder a este lamentável e precoce evento, cometido contra com um blog despretensioso e desconhecido como o meu…

Seja lá quem quer que tenha perdido tempo com isto, saiba que o sarcasmo foi entendido (sim, modéstia à parte, inteligência e perspicácia existem em abundância nesta que vos fala), mas será devidamente ignorado.

E voltemos aos estudos e em busca de nossa felicidade!

Em razão do tempo que perdi para conseguir publicar apenas o e-nun-ci-a-do da questão, já que o invasor estava determinado a me impedir de fazê-lo, meus comentários a respeito do gabarito não foram publicados ainda e ficarão pra mais tarde, depois da minha primeira aula de Português Avançado do ano ou então para amanhã.

Ah! Comentários e críticas construtivas sempre serão bem vindos.

See ´ya!

Direito Administrativo – Prova Analista Judiciário TJ RJ 2008 – CESPE/UnB

Posted in CESPE/UnB, Direito Administrativo, Provas, Questões Comentadas, Respostas with tags , , , , , on 2009/01/05 by concurseiradeplantao

A questão 41 desta prova foi a seguinte:

Acerca dos princípios informativos do direito administrativo, assinale a opção correta.

(A) A previsibilidade no emprego do poder, por instituições e órgãos, previamente estabelecidos, não decorre do princípio da segurança jurídica.

(B) Pelo princípio da motivação, é possível a chamada motivação aliunde, ou seja, a mera referência, no ato, à sua concordância com anteriores pareceres, informações, decisões ou propostas, como forma de suprimento da motivação do ato.

(C) O princípio da ampla defesa e do contraditório tem sua aplicação, no âmbito administrativo, limitada aos processos administrativos punitivos.

(D) A publicidade é elemento formativo do ato administrativo, uma vez que, sem ela, o ato não chega a se formar e, por isso, não pode gerar efeitos.

(E) A violação ao princípio da finalidade não gera o chamado abuso de poder, que é aplicado nos casos em que o ato administrativo é praticado por agente incompetente.

Como facilmente poderá ser confirmado no próprio site do CESPE/UnB, o Gabarito oficial desta questão foi a letra B. Qual a utilidade deste blog, então? Vamos pesquisar, analisar e procurar comentar por que as outras opções estão erradas, ok? Então, vamos lá.

Concordância Verbal – Prova de Técnico Judiciário/TRE-SP/2006

Posted in Bancas de Concursos, Concordância Verbal, FCC - Fundação Carlos Chagas, Português, Questões comentadas de Português with tags , , , , , , , on 2009/01/02 by concurseiradeplantao

Questão 6. A concordância está inteiramente correta na frase:

(A) Ser feliz ou, pelo menos, parecer feliz, tornaram-se uma obrigação da vida moderna, tais como se observa nos comerciais divulgados na mídia;

(B) Pessoas que, a exemplo dos comerciais exibidos na televisão, busca ser feliz o tempo todo sofre mais e se distancia das pequenas alegrias da vida;

(C) Torna-se impossível quaisquer tentativas de só sentirmos alegria, pois se sentimentos de tristeza aparece sempre como o outro lado da mesma moeda;

(D) Em vários estudos, aponta-se efeitos benéficos em sentimentos negativos, como o de tristeza, para a sobrevivência da espécie humana;

(E) Sentimentos de tristeza, assim como os que nos trazem alegria, fazem parte do cotidiano, pois são respostas naturais a determinadas situações vividas.

COMENTÁRIOS:

(A) A concordância está incorreta. O sujeito do verbo “tornar-se” é a oração “Ser feliz”, retificada por outra oração: “parecer feliz”. Assim, trata-se de sujeito oracional e por conseguinte, o verbo deve ficar na terceira pessoa do singular.

Outro erro que encontramos nesta construção é a incorreta flexão do vocábulo “tais”.

O texto estaria correto, se assim tivesse sido proposto: “Ser feliz ou, pelo menos, parecer feliz, tornou-se uma obrigação da vida moderna, tal como se observa nos comerciais divulgados na mídia.”

(B) A concordância está incorreta. O sujeito do verbo “buscar” é o mesmo de “sofre” e “distancia”, ou seja, “pessoas”, o que obriga a todos a regência em 3ª pessoa do plural.

“Feliz”, predicativo do sujeito “Pessoas”, também deverá concordar com este substantivo.

O texto estaria correto, se assim estivesse grafado: “Pessoas que, a exemplo dos comerciais exibidos na televisão, buscam ser felizes o tempo todo sofrem mais e se distanciam das pequenas alegrias da vida.”

(C) Concordância incorreta. O sujeito de “torna-se” não é “impossível” e sim, o sintagma “quaisquer tentativas”, o que obriga a flexão verbal em 3ª pessoa do plural para o verbo “tornar-se”. Conseqüentemente, o adjetivo “impossível”, que também é predicativo do sujeito, deverá estar no plural.

O verbo “aparecer” deverá concordar com o seu sujeito (“sentimentos de tristeza”), e assim, empregado em 3ª pessoa do plural.

A frase estaria correta, se assim tivesse sido proposta: “Tornam-se impossíveis quaisquer tentativas de só sentirmos alegria, pois sentimentos de tristeza aparecem sempre como o outro lado da mesma moeda.”

(D) Concordância incorreta. O verbo “apontar” inicia oração de voz passiva pronominal e seu sujeito é “efeitos benéficos em sentimentos negativos”, o que nos faz concluir que deverá ser flexionado na 3ª pessoa do plural.

O texto estará correto sob a seguinte forma: “Em vários estudos, apontam-se efeitos benéficos em sentimentos negativos, como o de tristeza, para a sobrevivência da espécie humana.”

(E) Concordância CORRETA. “Sentimentos de tristeza” é sujeito do verbo “fazer”  e do verbo “ser”, o que justifica o emprego de ambos na 3ª pessoa do plural. Igualmente correta está a flexão do verbo “trazer”, cujo sujeito é o pronome relativo “que”, o qual representa semanticamente o pronome demonstrativo antecedente “os”.

Esta foi fácil, não? Enjoy!

Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa

Posted in Português, Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa with tags , , on 2009/01/01 by concurseiradeplantao

Olá!

01/01/2009

Feliz Ano Novo e felizes estudos para todos nós.

Fazendo jus ao título deste blog, ainda que hoje seja feriado, plantão é plantão e todo dia é dia de estudar.

Como sabemos, está aí a Reforma Ortográfica, cujo Acordo foi aprovado em 1990 e assinado em setembro de 2008 pelo Presidente Luís Inácio Lula da Silva. Embora haja um período de quatro anos de transição para aplicação do acordo – até dezembro de 2012 – alguns veículos de comunicação  – impressa e virtual – já estão adotando as novas regras a partir de hoje.

Ninguém perguntou minha opinião a respeito, mas, aproveitando o fato de que isto aqui é um blog, direi que esta Reforma me causa imenso desgosto, raiva e indignação! Tenho vários argumentos para tanto, porém, não gastemos nosso tempo com isto. Fazer o quê? A Reforma já foi aprovada e não seria a humilde opinião dos contrariados que provocaria reconsideração por parte dos poderosos da Língua.

Só nos resta o conformismo e a rápida adaptação às novidades.

Aproveitando minha outra indignação – provocada por terceiros – sentida na manhã de hoje e que como lado positivo teve o fato de me lembrar de que TENHO DE (as expressões “tenho que” e “tenho de” atualmente têm igual aceitação pelos gramáticos, porém, tradicionalmente, usa-se “tenho de” quando se quer expressar obrigação) estudar TODOS os dias, comunico que voltarei às aulas da  minha Oficina de Português Avançado preferida já no dia 05 de janeiro. U-huuuuuuuuuuu!!! Desta forma, pretendo acompanhar as novidades dos concursos em relação à Reforma e como este assunto possivelmente será tratado pelas Bancas. De quebra, ainda darei boas risadas com o Professor e sairei das aulas com as energias renovadas para enfrentar o dia-a-dia de uma concurseira de plantão.

Nos próximos meses tentarei me adaptar o mais rápido possível, mesmo que me contorcendo e, assim como os possíveis leitores, farei-me acompanhar de guias como este aqui, cujo autor é o Douglas Tufano, guia este facilmente encontrado na busca do Google e disponibilizado pelo site da Livraria Melhoramentos.

Por enquanto, este blog continuará a ser escrito de acordo com as antigas normas, até que sua autora esteja segura e bem adaptada ao – argh – Acordo. As futuras aulas serão determinantes neste aspecto…

Por motivos óbvios, por hora, não trataremos aqui de questões de concursos que versem sobre Ortografia. Porém, nada nos impede de abordar questões sobre os demais temas da nossa belíssima Língua Portuguesa.

Como este post já se alongou demais, a tal questão será tratada no post seguinte e falará de concordância verbal.

E que venha 2009!

Posted in Não categorizados with tags , , on 2008/12/31 by concurseiradeplantao

Olá! Hoje é dia 31 de dezembro de 2008. São 3 e 10 da madrugada agora e cá estou a criar este blog. O dia e a hora do post provam minha obsessiva determinação em tentar mudar a minha vida através de meu próprio esforço.

Graduação recém-concluída, planos, esperanças e muita vontade de aprender.

Minha intenção é crescer e penso neste blog como mais uma ferramenta que poderá me ajudar neste processo.

Se, durante esta caminhada, for possível ajudar outras pessoas a alcançarem seus objetivos e com elas trocar idéias, dúvidas, respostas, resoluções de questões, dicas e incentivos, tenho certeza de que a estrada se mostrará mais amena e por vezes até prazerosa para os que nela pisarem.

Daqui a pouco 2009 chegará e com ele milhões de desejos fervilhando na cabeça esperam muitas HBC de minha parte (expressão criada por Alexandre Meirelles, aprovado no Concurso para AFRF de 2005, cujas dicas você pode ler aqui e também utilizada por seu colega Demétrio de Macedo Pepice, 1º colocado neste mesmo concurso e 2º colocado no Concurso do ICMS/SP de 2006, cuja entrevista dada para o Vicente Paulo você pode ler aqui.

Minha proposta é simples: estudar e trocar conhecimentos com os concurseiros de plantão.

Quem sabe não consigamos alcançar nossos objetivos em menos tempo do que esperávamos?

Felicíssimo 2009 para todos nós!